sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Antigas profissões com novos nomes

Abaixo, uma forma de melhorar seu currículo e conseguir uma melhor colocação no mercado de trabalho:

* Especialista em Marketing Impresso (boy da xerox)
* Supervisor Geral de Bem-Estar, Higiene e Saúde (faxineiro)
* Oficial Coordenador de Movimentação Interna (porteiro)
* Oficial Coordenador de Movimentação Noturna (vigia)
* Distribuidor de Recursos Humanos (motorista de ônibus)
* Distribuidor de Recursos Humanos VIP (motorista de táxi)
* Distribuidor Interno de Recursos Humanos (Ascensorista)
* Diretora de Saneamento de Áreas (a tia que limpa o banheiro)
* Especialista em Logística de Energia Combustível (frentista)
* Auxiliar de Serviços de Engenharia Civil (peão de obra)
* Segundo Auxiliar de Serviços de Engenharia Civil (ajudante de pedreiro)
* Especialista em Logística de Documentos (office-boy)
* Especialista Avançado em Logística de Documentos (motoboy)
* Consultor de Assuntos Gerais e Não Específicos (vidente)
* Técnico de Marketing Direcionado (distribuidor de santinho nas esquinas)
* Especialista em Logística de Alimentos (garçom)
* Coordenador de Fluxo de Artigos Esportivos (gandula)
* Distribuidor de Produtos Alternativos de Alta Rotatividade (camelô)
* Técnico Saneador de Vias Publicas (gari)
* Especialista em Entretenimento Masculino (puta)
* Especialista em Entretenimento Masculino Sênior (puta de luxo)
* Dublê de Especialista em Entretenimento Masculino (travesti)
* Supervisor dos Serviços de Entretenimento Masculino (cafetão)
* Técnico em Redistribuição de Renda (ladrão)

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

UOL - Atenção para o novo golpe da banda larga

O golpe não é tão novo assim, pois já conheço casos de pessoas que foram vítimas há alguns meses atrás.

Os usuários do Speedy (barda larga da Telefônica) recebem uma ligação de um suposto atendente da UOL afirmando que a partir de agora não é mais possível continuar usando o Speedy da Telefônica com provedores grátis e assim eles começam a mostrar as vantagens de assinar UOL, como "o provedor mais vantajosos dentre os provedores pagos".


Quando recebi a ligação, no mês de junho, eu desliguei e disse ao atendente que iria entrar em contato com a Telefônica para maiores esclarecimentos, no exato momento em que ele já pedia para que eu passasse o número da minha conta para autorizar o pagamento das taxas.

Ao ligar para a Telefônica, falei com dois atendentes para ter certeza da informação e ambos me informaram que AINDA É POSSÍVEL UTILIZAR BANDA LARGA acessando com um provedor grátis.

Não duvido, mas também não posso afirmar positivamente nada a respeito da qualidade dos serviços oferecidos pela UOL, mas é uma tremenda má fé que façam isso com os consumidores.

Detalhe que as únicas formas de pagamento que a UOL aceita quando faz essa ligação é o Cartão de Crédito e o Débito em Conta Corrente.

Uma vez autorizada essa cobrança é praticamente impossível retirá-la, o consumidor fica no "jogo de empurra" dos atendentes de tele marketing que falam que isso deve ser resolvido na agência e o gerente por sua vez diz que a cobrança deve ser discutida com a UOL". Enquanto isso o pagamento continua sendo debitado automaticamente da sua conta, ou do seu Cartão de Crédito.

Dica para quem receber essa ligação:

  • Grave o telefonema e anote o número que ligou.
  • Ligue para a Telefônica no número 10315 e confirme tudo que eu disse acima, que AINDA É POSSÍVEL UTILIZAR PROVEDORES GRÁTIS.
  • Entre em contato com o Procon de sua cidade e informe do ocorrido.

terça-feira, 29 de março de 2011

Nova Propaganda da Coca-Cola - Existem razões para acreditar


O vídeo fala por si só e já emociona aquele que assiste, mesmo assim quero tecer alguns comentários.

Quando perguntaram a Philip Kotler, se ele tivesse que optar pela marca da Coca-Cola ou por todas suas fábricas o mestre não ousou responder: "a marca". Quando consumimos produtos como a Coca-Cola, não estamos necessariamente apenas ingerindo o alimento ou bebida oferecidos, mas também toda a imagem e filosofia que a marca traz em si.

Me admiro muito em ver a maneira como a Coca-Cola construiu sua marca, com mensagens positivas, aliando seu nome à família tradicional, reunida na mesa, almoçando juntos, sempre mostrando o sorriso estampado no rosto das pessoas.

Estamos no início de 2011, diante de guerras e mortes ocorrendo no oriente médio, diante de catástrofes naturais que aos poucos estão fazendo as pessoas desacreditarem na existência de bondade neste mundo. O Brasil hoje ocupa o 6º lugar no ranking de homicídios no mundo e quase 40% dos nossos jovens morrem desta forma trágica (1). Tais fatos e dados, aliados às dificuldades do mundo moderno, onde quase 50 milhões de brasileiros vivem com apenas R$ 80 por mês (2), tem levado muitos a perder a esperança, perder a fé, aumentando assim o número de pessoas depressivas que hoje já são cerca de 13 milhões de brasileiros (3).

A Coca-Cola, além de divulgar a tua marca, quer mostrar com este comercial (baseado em um estudo real, segundo a empresa) que mesmo com o desânimo, a corrupção, a destruição do meio ambiente, as guerras e o medo, ainda existem coisas boas em número significativamente maior.

A propaganda inicia com o "desânimo" e, contrariamente a ele, coloca o número muito maior de "casais que planejam ter filhos",  porque já faz parte da marca valorizar a família tradicional e unida, respeitando a vida. Talvez seja essa uma das chaves do sucesso da marca, valorizando a família e o respeito pelo ser humano, enquanto muitas outras (como as propagandas de cerveja por exemplo) fazem questão de atacar e destruir.

Quanto cita a corrupção, que hoje descaradamente vemos em várias partes do Brasil, o comercial enfatiza um número maior de pessoas que doam um pouco de seu sangue para salvar milhares de pessoas que estão precisando.

Depois de várias comparações, todas com ênfase otimista, a Coca-Cola então, de maneira discreta e brilhante, compara o "número de armas", hoje responsáveis por milhares de mortes nas guerras que assistimos no oriente médio com um número muito maior de "pessoas compartilhando Coca-Cola".



sexta-feira, 25 de março de 2011

Homem processa Unilever por usar "Axe" e não conseguir namorada

Oportunismo ou descuido de quem fez a ação promocional do desodorante?

Um rapaz indiano deicidiu processar a empresa Unilever, fabricante dos desodorantes Axe, por passar sete anos à espera do ''efeito axe''; sem obter resultados, reporta o site Aanova.com.

Vaibhav Bedi, de 26 anos, quer uma indenização de 26 mil libras (cerca de 74 mil reais) por ''depressão e danos psicológicos''; causados no período em que ele usou o desodorante, convicto de que iria atrair várias mulheres, como é mostrado em diversas propagandas do produto.

Oficiais de justiça de Nova Déli acataram o pedido e concordaram em fazer exames laboratoriais com os frascos de desodorante usados por ele. O rapaz alegou que sempre seguiu corretamente todas as instruções de uso e de armazenamento do produto, mas nem por isso conseguiu arrumar uma namorada.

A Unilever não quis se pronunciar sobre o caso.